quarta-feira, 20 de maio de 2009

17 Maio 2009 - III Maratona do Paúl

Se a véspera tinha sido dia de Single Speed (“S-Yes ao Rubro”)… já hoje (dia 17 de Maio) foi dia de Multi Speed na 3ª Edição da Maratona de BTT - Ribeiras do Paúl. Era um evento em que nunca tinha participado, mas que, pela boa publicidade das edições anterioes, fez-me deslocar este ano até à vila do Paúl e confirmar no terreno se a expectativa alta se confirmava na realidade!! Posso desde já adiantar que sim… superou até… mas vamos por partes… e comecemos pelo início!!
.
A boa adesão da malta btt@castelobranco... fez com que saíssemos em caravana da cidade após cafézinho tomado na Padaria do Montalvão, junto ao Supermercado Modelo! Fidalgo, Bruno, Pedro Antunes, Carlos Sales, Nuno Maia, Nuno Dias, João Paulo Duarte e eu (João Valente)…saímos pelas 7:30 matutinas, rumo à Vila do Paúl, localidade situada entre as duas sedes de concelho (Covilhã e Fundão), respectivamente à distância de 21 Km’s para cada uma delas.

Cedo chegámos e mais depressa enveredámos na fila (ainda curta) para levantamento de dorsais personalizados com o nome e equipa do atleta, bem como a identificação de participação na meia-maratona (45Km’s) (cor verde) ou maratona (67Km’s) (cor-de-laranja). Bem organizada esta organização!!!

Seguiu-se o primeiro repasto do dia… uma vasta mesa recheada (bem recheada!!!) com comida para pequeno-almoço… onde até chamuças havia para os mais “avantajados” na arte de degustar o alimento!!! Estavam repostos os níveis energéticos para o percurso que nos esperava ao longo da manhã!

A zona de meta estava instalada no Largo em frente aos Bombeiras da localidade, onde a animação estava garantida ao som de música animada, várias barraquinhas de promoção artesanal, comes e bebes (à descrição), zona de briefing e controlo zero, bem como dos insufláveis de meta!

A malta de Castelo Branco… á qual se juntou em grande parte do percurso os amigos Pinto Infante (Lardosa), Vasco Sequeira (Escalos de Cima) e José Luís (Lardosa)… enveredou na totalidade pelo dorsal verde… ou seja o percurso mais suave de 45Km’s, com uma altimetria a rondar os 1000metros!

Após breves considerações e avisos de precaução por parte da organização, ecoou a sirene do quartel dos bombeiros e foi ver aquele colorido pelotão com cerca de 250 participantes serpentear algumas ruelas da localidade ao som de aplausos e assobios (de incentivo) pela população! Não há dúvida que eventos como este elevam a alma de um povo pequeno com cerca de 2000 habitantes… como é o Paúl! Nós… no aglomerado de pedalantes vibramos sempre com este frenesim que se sente no ar! Muito Bom!

Do Largo do Mercado, atravessámos a Vila do Paúl, pela Rua da Lameira, Largo da Igreja, Avª.Padre José Santiago, Rua do Pisão, em direcção ao cruzamento para Casegas e Lar das Oliveirinhas, virando à esquerda para o Lar rumamos para o Santuário da Nossa Senhora das Dores ( festa anual desta Santa, no 1º. domingo de Julho) … foram cerca de 3 km’s rolantes em alcatrão para promoção de um ligeiro aquecimento.

Quase a entrar em piso térreo, primeiro incidente do dia… queda (algo aparatosa) do colega Fidalgo… o que um homem faz para sacar um bom registo fotográfico!!!! Ou estaria já a treinar a técnica do mergulho para as Ribeiras do Paúl!??? Enfim… brincadeira aparte… poderia ter sido algo grave… mas que felizmente não passou de um valente susto e umas boas marcas no cromado… para mais tarde recordar!!!!

Com este percalço ficámos na cauda do pelotão… onde na verdade já estamos habituados a pedalar!!!! Eheheheh! Chegados ao Santuário surge a 1ª. subida da manhã… “mais ou menos 700 metros, com dificuldade média-alta”, onde a bom ritmo fomos ultrapassando dezenas de pedestrianos com a bicicleta à mão!!!!

Cortámos à esquerda para o Sumagral rolando por terrenos semi-planos e planos até à Eira. Aqui o percurso começa a endurecer. Subida íngreme onde a utilização de desmultiplicações leves e muito leves é obrigatória para seguir em cima da bicicleta!!! À nossa volta a paisagem é de perder de vista… a retina não consegue distinguir o fim da beleza, o fim do fresco da paisagem! Lindo mesmo… vale em pleno o sacrifício da subida!!!. Á esquerda temos como plano de fundo a Serra da Estrela e o vale respectivo, com as suas aldeias e ribeiras. Á direita do Alto da Cabecinha onde se encontra o marco geodésico avistamos toda a Cova da Beira e Serra da Gardunha. Soberbo!

Esperámos junto ao marco geodésico pelos mais atrasados e fomos sempre rindo com as peripécias anedóticas e “stricofénicas” do Zé Luís… um poço de boa disposição, por vezes até exagerada! Quem o conhece diz que não tem tomado a medicação certinha! Eheheheeh!!!! O Pinto Infante aproveitou a pausa para desempanar a objectiva da máquina digital… tal era a beleza da paisagem… que até a objectiva teimava em não se fechar!!!!!

Com a vista esplendorosa do topo da Cabecinha, dirigimo-nos para a descida vertiginosa e algo perigosa do lado norte deste monte rumo ao Alto da Salgueira. Neste local tomamos a direcção do circuito de manutenção do Tortosendo em descida alucinante circundados por pinhal cerrado, rumo ao Bairro do Cabeço. Atravessamos o Bairro e seguimos no sentido da Avª. Viriato onde se encontrava um pequeno abastecimento com águas e fruta fresca para os mais desgastados! Serviu para unir o grupo de novo!

Seguiu-se uma nova subida de dificuldade alta (em paralelo e alcatrão), para o Casal da Serra até ao Alto dos Covais. A partir daqui tínhamos como destino as Cortes do Meio por caminhos rolantes, descidas espectaculares e alguns single-tracks de cortar a respiração! Dirigimo-nos para as Cortes de Baixo, onde apanhamos um pouco de calçada romana até ao “Abastecimento dos Abastecimentos”… uma suculência quer em quantidade, quer em qualidade! Era patente a admiração dos participantes ao vislumbrar as mesas repletas com tudo do bom e do melhor… sem faltar a beleza local promovida pela passagem da ribeira ali mesmo ao lado com umas quedas de água a convidar o registo fotográfico! Era difícil largar este abastecimento… 5 estrelas! Do melhor… em que já participei! E a opinião era generalizada!!!!!

Ainda a poucas centenas de metros do abastecimento… incidente na bike (emprestada) do Vasco Sequeira… rasgão na lateral do pneu tubless. A comitiva parou… e parou durante muito tempo… pois o pneu armou-se em teimoso e não havia modo de o sacar! Eram 6 mãos agarradas à peça e não mexia!!!! Valeram uns “desmontas” de ferro e muita força à mistura para levar vencida a batalha “homem vs pneu”!!! Ehehehe!

Saímos então das Cortes de Baixo com direcção à Ribeira do Caia, a qual tivemos de atravessar pelo açude… a pé e com a bicla às costas… e a molhar o pézinho! Ou… (segunda hipótese) sacar dos peúgos mal-cheirosos, meter os sapatos dentro dos bolsos e deixar cair uma meia pelo caminho… ou seja à Zé Luís!!!!! Valeu o amigo Pinto Infante para solucionar a brincadeira!!!!

Daqui… começa-se a pedalar pela “ Mata Amazónica"… trilhos entrecobertos com vegetação a formar túneis de verdura ao longo de algumas centenas de metros!!!! Como alguém diz… um espectáculo espectacularmente espectacular!!!!!

Passando o cruzamento das Cortes… seguimos pelo Ourondinho, Quinta dos Penesinhos… com passagem em mais um local paradísico… a zona fluvial do Paul … onde até está sediada uma geocache… a beleza do local merece-a bem!!! Neste local fomos brindados com um passadiço de madeira para permitir a passagem pela ribeira… ainda que um mergulhinho não saberia nada mal! O calor já se fazia sentir com o aproximar das 13:30horas!

Entrámos novamente dentro da localidade do Paúl para terminar aquilo que eu considero um percurso inesquecível de rara beleza serrana onde a organização esteve ao mais alto nível superando as minhas expectativas (que já eram altas!) Fomos brindados com zona de lavagem de bikes (à descrição), banho de água quente (uma exigência que já começa a fazer a separação entre o Bom e o Muito Bom!), almoço bem confeccionado e saboroso com geladinho refrescante no final! Soube que nem “gingas”!

À cerimónia “protocolar” de entrega de prémios já não assisti pelo entardecer da hora, mas pelos relatos que ouvi e li, sei que foi o fechar do evento com chave de ouro… já a aguçar o apetite para o ano que vem! Quanto a mim tenho ideia de lá regressar em 2010 e ser de novo brindado com a simpatia e qualidade deste ano. Aos Pedais do Paúl o meu agradecimento e felicitação por este dia que nos proporcionou!!

.
Aos meus Amigos...
Portem-se Bem... ou mal (mas com estilo!)
Vemo-nos nos Trilhos!

2 comentários:

Fidalgo disse...

Boas fotos e espetacular reportagem. Só uma correçao, não é Paulo salvado mas sim João Paulo Duarte.
Um abraço.

António Parracho disse...

Muito bom Foto Report! :) Há veia de jornalista nestes textos! ;)

Boas pedaladas!

bttserradaestrela.blogspot.com