terça-feira, 4 de maio de 2010

À Conquista da Barca da Amieira!

Caros colegas… obrigado pelas espera impaciente!!!!

A Conquista da Barca da Amieira, via BTT, estava prometida à já bastante tempo pelo comparsa João Afonso! Era apenas uma questão de tempo… tempo de deixar ir embora o frio e a lama e deixar aparecer o ameno primaveril, bem como os terrenos mais secos! Esse dia chegara… foi no dia 2 de Maio que 11 pedalantes protagonizaram um dia pleno de BTT na Conquista da Barca da Amieira!
.

Pelas 8:00, já compareciam junto às instalações da IPERDEL, 10 aventureiros: João Caetano, Luís Lourenço, Nuno Eusébio, Àlvaro, Pedro Antunes, Filipe Salvado, João Afonso (o homem do leme), Luís Antunes, Rui Gonçalves e eu (João Valente). Iríamos ainda apanhar mais um elemento nas Benquerenças, o Joaquim Afonso. Pelas contas do organizador ainda faltaram 2 ou 3 elementos… que não compareceram no ponto de encontro! Paciência!

Saímos da cidade pela Zona Industrial, rumo às Benquerenças onde o Joaquim Afonso entrou no grupo e prosseguimos ladeando a A23, passagem pela Represa e mais à frente com paragem na Padaria dos Amarelos para saborear, os já famosos panikes de ovo e chocolate que ali se comerciam! O cafézinho matinal (a sair a ferver) da máquina aquecia corpo e alma do grupo. Havia bom ambiente… e ainda agora era início… tínhamos pela frente várias horas de convívio até à Conquista da Barca!!!

Daqui seguimos por trilhos sobejamente conhecidos da malta mais habitué, rumo a Vila Velha de Rodão, onde fizemos a primeira fo** de grupo! É assim que a malta já “carinhosamente” lhe chama (!!!), penso que baptizada pelo amigo Luís Lourenço!!! Como pano de fundo… as sempre bonitas Portas de Rodão, uma formação geológica resultante da intersecção do duro relevo quartzítico da Serra das Talhadas com o curso do rio Tejo, este ano candidata às 7 Maravilhas Naturais Portuguesas!


Efectuámos uma pequena paragem na fonte junto à estrada para abastecimento de líquidos, despedida do Colega João Caetano que regressava a Castelo Branco por compromissos pessoais e substituição de uma câmara de ar do colega Luís Antunes… que trazia um furo lento… e já vinha farto de dar à “bomba”!!! Esta pequena paragem serviu também para ganhar fôlego e enfrentar a longa subida pela vertente sul da Serra de São Miguel rumo ao seu topo, onde o grupo pôde contemplar toda a brilhante panorâmica sobre o Rio Tejo, Castelo Rei Wamba, Ponte, Vila Velha de Rodão, mergulhados no imenso verde natura e azul celeste! Muito Bonito! Claro… Fo** de Grupo lá no topo!!!


Recuámos cerca de 2 Km’s para entramos de novo no track, que seguia agora a par com as sinaléticas pertencentes ao PR - Trilhos do Conhal! Uma descida bastante técnica, com alguns troços a serem impraticáveis em bicicleta! Bons momentos de reinação! Já lá em baixo... tempo para dar uma espreitadela ao Conhal do Arneiro. As imensas escombreiras de quatzitos foram tema de conversa durante algum tempo… e de louvar a força humana capaz daquele feito! Só mesmo aquele Romanos!


Seguimos novamente as marcações do percurso pedestre até ao seu início, perto do "Restaurante Túlio", no Arneiro, onde nos foi servida não a tradicional sopa de peixe… mas umas bebidas fresquinhas, que o calor já se fazia sentir! Para o almoço… ainda era cedo!!!

Daqui em diante a aventura à Conquista da Barca da Amieira, atravessou vários troços de diferentes percursos pedestres do município de Nisa… PR Olhar sobre a Foz, PR Descobrir o Tejo, e finalmente PR Trilho das Jans. Alguns deles ladeando as margens do Tejo por largas centenas de metros em single-track’s, uns mais cerrados, outros mais abertos, uns mais técnicos, a subir, a descer… certo é… é que a beleza dos locais é inegável! Um percurso… mesmo à João Afonsingles! Percorremos zonas onde a natureza se apresenta nesta altura do ano cheia de vida e cor, o que anima e “facilita” a progressão… ainda que esta tenha roçado os limites do “radical” nalguns locais! Ehehehe!!!

Atendendo à agressividade de alguns troços mais técnicos, onde a pedra era rainha e senhora, tivemos um percalço com um rasgão no pneu traseiro do Luís Lourenço! Drº Filipe “Elo-link”… que já lá atrás tinha ajudado o Luís Antunes no arranjo, foi peça fundamental agora no auxílio do Luís Lourenço! Quando temos assim amigos que tratam a mecânica por “tu”… é um grande alívio no grupo! Ehehehe…

A Conquista da Amieira já estava mais próxima… mas antes tínhamos de vencer a longa subida até Vila Flor… onde fomos recebidos pelas ruínas da catedral que ali está sediada. O percurso avança em direcção ao Tejo, com uma visão privilegiada sobre Gardete e a Barragem do Fratel, a anteceder a descida acentuada até à margem, onde começam os três quilómetros do Muro de Sirga até à Barca da Amieira. Pessoalmente tinha muita expectativa em percorrer este trajecto em BTT, pois já o tinha feito via pedestre! No entanto… a irregularidade do muro, torna-o tão de bonito, como de torturante para quem vai de bicicleta!

Seguimos em fila “pirilau” paralelamente ao rio, de onde se contempla todo o esplendor do paisagem. Para trás fica um pontão com arco em xisto, a foz do rio Ocreza e a abundante vegetação das margens do Tejo. Chegamos ao cais da Barca da Amieira… já atrasados para o almoço e o apetite era já bastante, pelo que subimos via asfalto até à Amieira do Tejo, poupando um pouco a penosidade da via todo o terreno, ainda que a via de asfalto, também não seja “pêra-doce”!

Na Sociedade Educativa Amieirense esperava-nos o almoço ao ar livre, previamente marcado pelo João Afonso! Foi um regalo… para quem ia com as energias mesmo nas últimas! Ainda na localidade, fizemos uma visita ao Castelo da localidade para uma última fotografia de grupo na Amieira do Tejo.

Para baixo todos os santos ajudam… e rapidamente chegámos ao barqueiro da Amieira! 5 de cada vez, com as respectivas montadas, para efectuarmos a travessia do Tejo e podermos assim esperar na (deserta) Estação da Barca da Amieira pelo Comboio regional que nos levaria até casa! Foram mais 2 experiência diferentes neste dia… a travessia no barco e o regresso de comboio… atrasado 12 minutos, 9 minutos, 7 minutos, 12 minutos, entoados pelo doce voz feminina do altifalante!

Eu acabei por sair na estação do Retaxo, onde fui jantar com a família na Represa! Os meus colegas de jornada seguiram via férrea para a estação de Castelo Branco! Foi assim o culminar de um dia bem diferente do habitual, onde as peripécias tiveram o seu lugar, onde as exigências do terreno também estiveram presentes… mas acima de tudo… a Amizade/BTT foram os elos principais desta “Conquista da Barca da Amieira”!


Agradeço a todo o grupo os bons momentos que partilhámos, em especial ao João Afonso por ter feito a construção do percurso!

Um agradecimento também aos “papparazzis” João Afonso e Filipe Salvado pelas fotografias que me cederam para compor este relato! A minha digital… esteve ocupada durante este dia!!!

Abraço a Todos
Fiquem Bem

3 comentários:

FMicaelo disse...

Excelente voltinha made by João Alfonsingles... só mesmo deste companheiro e amigo! Com muita pena minha não pude ir, mas haverá outras oportunidades...

Abílio disse...

Quanto mais leio sobre esta vossa a aventura mais inveja tenho. PORRRR..... logo tinha que ser um dia que não podia ir. Um abraço.Fidalgo.

BTT-ALBI disse...

Excelente narração do percurso como sempre.
Quanto a mim penso que no fundo foi mais um belo dia de companheirismo e camaradagem, as estevas e as giestas que se lixem não lhes podemos passar cartão!
Obrigado pela tua presença.
Conto contigo para o próximo.

1 abraÇo.