segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Singles... Gourmet!!!

Depois de 2 fins-de-semana atulhados em nevoeiro denso, eis que o dia 23 de Janeiro nascia limpo, soalheiro… mas muito friorento! O ar gélido matinal queimava a pele… e obrigava a uma camuflagem extra do corpo! Pelas 8:00 era vê-los chegar pouco a pouco extra-encasacados e mesmo alguns encapuçados… só os olhos se lhe viam… e por trás de óculos escuros!!! O centro cívico acolhia assim aqueles que se quiseram aqui juntar para mais um Domingo de pedal!
.

Abílio Fidalgo, Agnelo Quelhas, Álvaro Martins, Bruno Dias, Dário Falcão, Fernando Micaelo, João Afonso, (eu) João Valente, Luís Lourenço, Nuno Dias, Nuno Maia e Pedro Antunes. Fico particularmente contente quando vejo que num dia “agreste” como o de hoje, a malta vence aquele primeiro esforço de abandonar o vale dos lençóis para se entregar a uma manhã plena de desporto salutar entre bons amigos, onde reina a camaradagem, divertimento e o bom ambiente entre todos! Assim vale mesmo a pena levantar cedo!

Podemos também dizer que o dia era bastante apelativo à maior adesão! O Luís Lourenço prepara um punhado de “single-tracks”, umas quantas “bredas”, quelhas e carreirinhos… aos quais juntara umas veredas... perfazendo uma trialeira real que aguçou o apetite a muitos!

O contraste entre o gelo do terreno, frio do ar e o sol do céu abrilhantou o encalce aos primeiros trilhos junto aos Maxiais onde foi protagonizada a estreia de um single-track praticamente desconhecido para todo o grupo! Era o início de uma manhã repleta deles! Daí em diante foi para todos os gostos… a subir, a descer, técnicos, com lama, com pedra, entre muros, com silvas, com esteva, com água, largos, estreitos… demasiado estreitos, para a direita, para esquerda… enfim um fartote! Era constante ouvir-se alguém dizer… “Eh que bela Breda”!!!... para além das anedotas relativas aos Carlos Castro… mas isso são assuntos mais castos! (ops!)

Já com a primeira dose matinal by “Luís Lourisingles”, visitámos a Padaria dos Amarelos, não em busca dos Filipinos mas sim dos deliciosos Panikes locais! Todos degustámos um e houve quem quisesse dose dupla! Sempre muitos bons e com simpatia a condizer! Estávamos prontos para a segunda parte da manhã… onde havia mais SSSS! Sarnadas, Singles, Serveja e Soriça! Ehehehe… Brutal!


Sob a batuta do Luís Lourenço… visitámos mais uns quantos tesourinhos nas imediações das Sarnadas de Rodão e Retaxo… o homem esmerou-se e apenas com recorrência à tecnologia “Neurónio GPS’r”! Fantástico!

As 11horas batiam no relógio… era tempo de mais “S”… S de Surpresa! Por “caminhos mais directos” (O Pedro abriu um sorriso de felicidade!!) dirigimo-nos à Represa onde tínhamos uma “Surpresa Gourmet” (Paulo Alves… eu avisei-te!!!) previamente preparada pelos meus Pais e Avô! Um mesa simpaticamente composta onde o grupo pode provar a já famosa geropiga acompanhada de uma iguarias de fumeiro! Pelas expressões, o grupo gostou da Surpresa e juntámos mais um bom momento a esta volta domingueira! Abri a porta a bons amigos e apenas quis partilhar junto deles e dos meus uma das coisas boas da vida: um brinde à Saúde!


Mais aconchegados e em franco convívio… a dúzia de pedalantes seguia agora em rumo ascendente… Olelas acima, onde desencantámos mais um carreirinho rumo às traseiras do campo de tiro para depois enveredar adrenalinicamente encosta abaixo em direcção à cidade albicastrence! Hoje éramos Reis e Senhores dos Singles… e os comunicados não se fizeram esperar!!!!

“Aqui El-Rei D. Fernando saúda-vos do seu majestoso pedestal para dar as graças do Senhor pelo extraordinário feito por terras Sarnadinas de pedalar 50 km’s por belíssimos trilhos. Elevo a cavaleiro-mor dos singles Sarnadinos o nobre L.L. pelo extraordinário feito de descobrir novos horizontes para o reino, a cronistas-mor os nobres Alfonsingles e Nelo pelo extraordinário mister de escreverem mais umas boas crónicas e elevo a Petisqueiro-mor o mui nobre Valente, pelo banquete real servido no seu palacete de campo. A todos os outros cavaleiros, felicito-os por mais uma vez mostrarem a sua bravura e tenacidade em cima das montadas ao serviço deste reino pedalante!”

D. Falcão (de cognome Dário, o Récem-Chegado)… em uníssono retorquiu: “O frio jamais retrairia tão nobres e audazes Cavaleiros por trilhos nunca dantes trespassados. Os famosos guerreiros dois repastos manjaram e felizes ficaram. Não foi o dia em que o Rei fez anos, mas estava tudo mui a gosto. As conquistas merecem festejos! Viva D. Luís por sua sábia orientação e D. Valente pelo acolhimento em seu feudo. Até ao próximo ajuntamento.”

Sinceramente… foi uma volta ímpar e que a todos agradou, sem excepção! É mesmo caso para dizer… (à Nuno Dias)… XPÉTAAAAACLOOOO!!!

Fiquem bem… até ao próximo!
No sítio do costume!
João Valente

5 comentários:

Agnelo disse...

É realmente destes pequenos grandes momentos que se faz a nossa existência, dando sentido à "viagem" que, mal ou bem, todos fazemos. A viagem de cada um fica mais completa quando se tem a sorte de partilhar estas experiências...
Abraço
AQ

Fidalgo disse...

Anda tudo muito poetico, eu para tal não tenho jeito, mas não quero deixar de agradecer o pestico,ao Valente, grande amigo do peito.
Não foi erro de português, nem faz parte do novo acordo ortográfico. Se tivesse bem escrito não rimava. Ehehehe, Espetaaaaculo.
Obrigado João Valente, e força para fazer frente, às tristezas da vida. Um abraço para ti e para a tua familia. Muitas pedaladas para todo o pessoal. Fidalgo.

Luis Lourenço disse...

Bom dia
Eu também quero agradecer ao João Valente pelo excelente final de manhã que nos proporcionou.
Foi um belo final, para uma bela manhã, bem passada entre malta porreira.
Quanto aos “recantitos” (porque são apertadinhos), só é bom desencantá-los se for para os partilhar, apesar da malta bater muito território, ainda vai havendo coisas por descobrir é outra das qualidades do nosso desporto.
Venham muitos durante o ano para desbravar. Pelo inicio que estamos a ter, o ano promete….
Os meus sentimentos ao João Valente.
Um abraço
Luis Lourenço

Agnelo disse...

"eu para tal não tenho jeito"

Faz-me lembrar os meus alunos, nas alturas de preguiça, "...mas setor, eu não sei desenhar..."
Pensas que para se escrever textos bonitos é só estalar os dedos e já está? Dá trabalho meu amigo, é preciso pensar, ter ideias, esforçar-se...
Como alguém diria, "A Genialidade é 5% de Inspiração e 95% de trabalho".

Abraço

BTT-ALBI disse...

Mãezinha do céu me acuda ! hehehe era o que diziam lá para os meus lados noutros tempos de menos fartura que agora. Esta foi sem duvida uma Voltinha bem Farta. Venham mais que nós cá estamos para as "consumir"
1 abraÇo.

Os meus sentimentos ao João Valente.