segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A (Re)Conquista do Rei Wamba...

Boas
.
A última (… pedalada) de Janeiro foi mesmo no dia 30, em que as temperaturas frias… corrijo… gélidas de Domingo fizeram reunir no Centro Cívico 5 homens e respectivas gingas: Abílio Fidalgo, Dário Falcão, Pedro Antunes, Filipe Salvado e eu (João Valente). Durante a semana falara-se em várias hipóteses de percurso… acabara por falar mais alto a hipótese de reconquistar a fortaleza do Rei Wamba lá para os lados de Vila Velha de Rodão! E foi para lá que fomos!
.

Com a ausência dos habituais “líderes” do GPS’r, hoje foi mesmo o Pedro Antunes e o Fidalgo a pegar na batuta de maestro e a dirigir as hostes trialeiras da manhã! E digo-vos… não se saíram nada mal! Optámos por fazer um bom aquecimento asfáltico até à zona da Represa, permitindo contrariar o frio gélido que se fazia sentir. Os trilhos habituais foram percorridos e até voltámos a bater com o nariz na porta dos “Panikes mais famosos dos Amarelos”… a hora era demasiado matutina!!!

Seguimos em andamento vivo até Alvaide, passando a linha na Estação das Sarnadas de Rodão. A cobertura de gelo sobre a linha férrea e travessas de madeira permitia fotografias dignas de registo!! À semelhança, os muros de pedra que ladeavam os caminhos tinham uma grossa camada de orvalho sob a forma de gelo… ambientes adversos… mas com peculiar beleza! Onde está o nosso fotógrafo oficial??? (não constava da lista de participantes de hoje!!) Temos pena!
.
Efectuámos uma pequena paragem para abastecimento cafeínico no Café-Restaurante “Cerejal” em Alvaiade onde se “varria o chão para aquecer” (palavras da dona)! Bebemos café… e por aqui não havia Filipinos (alguém ficou triste!) As dificuldades do percurso até esta zona foram facilmente superadas… no entanto… elas estavam aí à vista com a Serra da Achada!

Enveredámos pelo caminho florestal da Serra da Achada, que em pendente ascendente nos levaria até ao acesso ao Castelo e Ermida do Rei Wamba, no entanto… antes disso, o Pedro Antunes desafiou-me a enfrentar a subida até às antenas cimeiras do Penedo Gordo - Milhariça! Óbvio que aceitei! Ehehehe! Na companhia do Pedro Antunes enfrentámos os cerca de 400 metros até ao topo do Penedo Gordo, onde as pendentes certamente atingem os 15-20% de inclinação (Mike… tens de cá vir coma SS!!!)! Eheheh…

Já junto ao marco geodésico pudemos contemplar todo um manto de nuvens que impossibilitavam a vista terreste. Simplesmente fantástico! Paisagem assim, acho que só tive, sentado num banco de avião! Valeu bem o sacrifício deste desvio!


Não nos alargámos muito no tempo, pois o Filipe, o Dário e o Fidalgo já estariam a caminho do Castelo do Rei Wamba - objectivo da volta de hoje! A descer todos os santos ajudam e depressa chegámos junto deles para mais uma peculiar paisagem sobre o Tejo Internacional e Portas de Rodão. As nuvens baixas demarcavam todo o horizonte do nosso olhar, não permitindo ver o Rio Tejo… apenas rasgava este “tapete celeste” o cume mais distante da Serra das Talhadas! Sublime! Já aqui tive por diversas vezes e nunca tinha observado um cenário como o de hoje! Muito Bonito! Marcámos o momento com 2 fotografias de grupo, panos de fundo diferentes!


Re-conquistado o monumento do Rei… descemos “à grand vitesse” e frrrrriiiiioooo até perto da ponte de ferro para mais uma contemplação das Portas de Rodão… agora já abaixo do nível das nuvens! Sempre bonito este monumento pertencente ao Geopartk Naturtejo.


Face ao frio, efectuámos pequena paragem ainda em Vila Velha, num café local, para sorver não a típica Sagrespan aliviadora das articulações ou outros derivados da cevada… mas sim para saborear (pasmem-se) um chá quentinho!!! Ehehehe… sempre surpreendentes esta malta do BTT!

Daqui em diante, seguimos já com rumo à cidade de Castelo Branco fazendo a transposição da durinha pendente junto à Barragem do Açafal, que sempre faz o pessoal arfar mais que o habitual! Seguiu-se Atalaia, onde o flower power parece querer começar a despontar … não resistimos a mais uma fotografia de grupo! Por fim, Sarnadas de Rodão, onde enveredámos pelo single track que o Luís Lourenço nos brindou a semana passada (mas em sentido contrário), indo “desaguar” próximo às traseiras das Bombas (Fantasma) da Galp.


Agora paralelos ao IP2,ciclámos até à saída no cruzamento dos Amarelos, onde optámos por seguir em asfalto, rolando em andamento bem vivo até ao cruzamento dos Cebolais de Cima, onde reagrupámos, seguindo depois em amena cavaquira até à cidade, entrando no Valongo pelas 13:20h com 75Km’s percorridos numa excelente manhã de bicicleta!!

Até para a semana
No sítio habitual…
Talvez para mais uma Re(Conquista)!!!



5 comentários:

Agnelo disse...

Epá...Quando falto há sempre destas paisagens, bolas. Ainda assim foram muito bem captadas. As manhãs frias de finais de Inverno proporcionam momentos dignos da National Geographic. Muito bem, belo passeio, com lugares dos mais bonitos do que há por cá, com dureza QB e um grupo equilibrado (pela lentidão do Fidalgo e a velocidade do J.V.) hehehe.

Parece que a sorte não anda do meu lado... Este Domingo o meu irmão festeja 36 anitos e vou ter que me ausentar até à Guarda para lhe dar um abraço. Por isso caros amigos, voltem a arranjar substituto para o GPS. :-(

Abraço

BTT-ALBI disse...

Epá cum catano !!! mais uma vez passeie ao lado, e eu que nunca fui ao Rei Wamba !
mas vocês foram de avião ?!?!
1 abraÇo.

Pinto Infante disse...

já somos 2 João. nunca lá fui, mas ao ver as fotos desta rapaziada atrevia-me a perguntar:
vocês foram ao wamba ou andaram nas nuvens?!
belas fotos
abraço
Pinto Infante

FMicaelo disse...

Pelos vistos a malta anda a divertir-se á brava nos trilhos mais a sul... Ainda vamos enjoar! Mas não entendo 2 coisas... primeiro: passaram a beber chá! Chá??? segundo: passaram pelo Valongo sem parar! Cevada???
Estamos a falar na malta do BTT@Castelo Branco???

Fidalgo disse...

Nós andámos nas nuvens e voçês roidos de inveja. Chá de limão devidamente temperado. O tempero fica à vossa imaginação, que eu sei ser bastante fértil. Quanto à paragem na Associação do Valongo, não fosse um dos fundadores do BTT@Castelo Branco e uma aquisição nova de 2011, para manter a tradição ela já teria morrido. Quanto aos andamentos, nem sequer comento, uma vez que por mais devagar que eu ande, esse dia de bike andei mais depressa que ele com certeza. Ehhehehe!!!! Fiquem bem. Este fim de semana não contem comigo como guia, vou andar no Sábado, uma vez que no Domingo estou de Baptizado. Um abraço.